«Têm 72 horas para pressionar o vosso Governo a tomar a decisão mais sensata e pagar 200 milhões de dólares para salvar a vida dos vossos cidadãos», disse.




«As suas vidas são a principal prioridade», afirmou.


«Estou extremamente indignado com este ato (...) e exijo vigorosamente que nenhum mal seja feito [aos reféns] e que sejam libertados imediatamente», disse Shinzo Abe.


«O extremismo e o Islão são duas coisas completamente diferentes», declarou.