Já são vários os jardins zoológicos dos Estados Unidos que começaram a imunizar os seus animais contra a covid-19, com recurso a uma vacina experimental. Esta vacinação vai dar prioridade aos animais que são mais suscetíveis a apanhar o vírus, como é o caso dos gorilas, tigres, visons e lontras.

A segurança e o bem-estar dos nossos animais são sempre uma prioridade e há evidências de que primatas, carnívoros e outros mamíferos podem ser afetados pela covid-19”, explicou o Jardim Zoológico de Denver em comunicado.

As vacinas foram desenvolvidas por uma farmacêutica veterinária norte-americana, a Zoetis, que vai doar mais de 11 mil doses a cerca de 70 jardins zoológicos, santuários, instituições e organizações, nos Estados Unidos.

Estamos orgulhosos de que nosso trabalho pode ajudar os animais do zoológico em risco de covid-19”, expressou Mahesh Kumar, vice-presidente da Zoetis.

A porta-voz do jardim zoológico de Milwaukee, Jennifer Diliberti-Shea, explicou que já faz parte da rotina dos animais serem vacinados e que esta é apenas mais uma medida para os proteger. Após a administração da vacina, todos os animais vão ser acompanhados pelos funcionários.

"Isso é algo que a nossa equipa faz para várias doenças. Obviamente que, com a covid-19, estávamos à espera que houvesse uma vacina que lhes pudéssemos dar", disse Jennifer Diliberti-Shea, citada pela Associeted Press.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, vários animais em zoológicos e santuários testaram positivo para o coronavírus no último ano, provavelmente devido ao contacto com seus tratadores, que estariam infetados.

O primeiro animal, num jardim zoológico, a contrair covid-19 foi um tigre num Zoo em Nova Iorque, em abril de 2020.

/ IC