Meio a sério, mas muito mais a brincar, até ver, Jean-Claude Juncker resolveu responder à letra ao presidente norte-americano sobre o apoio deste à saída do Reino Unido da União Europeia.

Na ilha de Malta, numa reunião do grupo Popular Europeu, o Brexit, acionado na quarta-feira, esteve em análise. E o presidente da Comisão Europeia usou da ironia para criticar o apoio de Donald Trump à situação.

O recém-eleito presidente dos Estados Unidos está contente com o Brexit e exortou outros países a fazer o mesmo. Se continuar assim, irei promover a independência do Ohio e de Austin, Texas, nos Estados Unidos", disse Jean-Claude Juncker, falando aos delegados do Congresso do Partido Popular Europeu (PPE).

Juncker acrescentou que o "Brexit não é o fim de tudo, antes devemos considerá-lo como um novo começo".

Também o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk considerou que o Brexit irá tornar a União Europeia "mais determinada", com a esperança de que o bloco permanecerá "unido no futuro, mesmo durante as difíceis negociações" com o Reino Unido.

Muitas pessoas estão a dizer que o mundo e a Europa estão a sair um bocado fora dos carris. Se agirmos juntos na Europa, podemos fazer muito melhor do que quando fazemos coisas por nós próprios", sustentou a chanceler alemã Angela Merkel no congresso do PPE.