O movimento islamita Hamas anunciou esta quinta-feira ter lançado um enorme 'rocket' de 250 quilos em direção ao segundo maior aeroporto de Israel, tendo apelado às companhias aéreas para suspenderem todos os voos com destino ao Estado hebreu.

Nas últimas horas, os voos com destino ao aeroporto internacional Ben Gurion na capital israelita, Telavive, foram desviados para o aeroporto de Ramon, perto de Eilat, na zona sul do país, local para onde o Hamas diz ter lançado este 'rocket' de grande potência.

O anúncio do lançamento do 'rocket' foi avançado pelo porta-voz do comandante das Brigadas al-Qassam (o braço armado do Hamas), Mohammed Deif, afirmando tratar-se de uma “retaliação” aos ataques israelitas.

O aeroporto de Ramon fica localizado a mais de 200 quilómetros da Faixa de Gaza, enclave palestiniano habitado por cerca de dois milhões de pessoas e controlado pelo Hamas desde 2007.

O movimento islamita “apela às companhias aéreas internacionais para interromperem imediatamente os voos para qualquer aeroporto" em Israel, acrescentou o mesmo porta-voz.

No início desta semana, os voos com partida do aeroporto israelita Ben Gourion, o mais importante do país, foram temporariamente suspensos devido aos primeiros disparos de 'rockets’ realizados pelo Hamas em direção a Telavive.

As companhias aéreas norte-americanas American Airlines e United Airlines confirmaram hoje à agência France-Presse (AFP) que suspenderam os seus voos para Israel até pelo menos 15 de maio.

A luta entre Israel e o Hamas iniciou-se na segunda-feira após semanas de tensões israelo-palestinianas em Jerusalém Oriental, que culminaram com confrontos na Esplanada das Mesquitas, o terceiro lugar sagrado do Islão junto ao local mais sagrado do judaísmo, nesta zona da cidade ilegalmente ocupada e anexada pelo Estado hebreu, de acordo com a lei internacional.

Desde segunda-feira, o exército israelita indicou ter realizado 600 bombardeamentos na Faixa de Gaza, território exíguo sob bloqueio israelita há mais de uma década e onde vivem cerca de dois milhões de palestinianos.

Num balanço dos ataques, o Hamas deu hoje conta de 83 mortos, incluindo 17 crianças, e 487 outras pessoas feridas.

As milícias do Hamas e da Jihad Islâmica dispararam cerca de 1.600 'rockets' contra território israelita, que mataram sete pessoas, incluindo uma criança e um soldado, e deixaram feridas centenas.

. / LF