O intérprete afegão que em 2008 ajudou Joe Biden e outros dois senadores norte-americanos, que ficaram presos num vale no Afeganistão após o helicóptero onde seguiam ter sido forçado a pousar de emergência, devido a uma tempestade de neve, conseguiu finalmente sair do país com a sua família.

Treze anos depois, Aman Khalili junta-se aos milhares de afegãos que fugiram do país para escapar aos talibãs.

Na segunda-feira, um representante do Departamento de Estado norte-americano explicou à BBC que o intérprete e a sua família “saíram em segurança do Afeganistão e iniciaram a viagem do Paquistão”.

Antes de conseguir sair do país, o intérprete já tinha pedido ajuda ao agora presidente Joe Biden.

Olá, senhor presidente. Salve-me e salve a minha família. Não me deixe aqui, pediu, em setembro.

Quando questionado sobre a situação de Aman Khalili, Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca, agradeceu ao intérprete pela ajuda dada a "algumas das suas pessoas favoritas” e garantiu que os EUA estavam "empenhados" em retirar os aliados.

A organização Human First Coalition, que ajudou a salvar mais de 200 afegãos agora no Paquistão, disse à BBC que estava "profundamente grata" aos funcionários norte-americanos e paquistaneses por ajudar a trazer “o intérprete do presidente Biden e a sua família para um lugar seguro".

Desde 2008, cerca de 70 mil afegãos foram reinstalados nos EUA com um visto.

Redação / IC