A Rússia não espera "nada de bom" do futuro Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acreditando que a sua política externa será orientada pela "russofobia", disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Sergei Riabkov.

Não esperamos nada de bom, isso é claro. Seria estranho esperar bem das pessoas que, para muitos deles, fizeram da russofobia a sua carreira, despejando bílis no meu país", disse à agência noticiosa russa Interfax, após novas tensões entre os dois países por causa de um gigantesco ciberataque nos Estados Unidos atribuído a Moscovo.

Riabkov é responsável pelas relações com as Américas e continua a ser um dos principais interlocutores do Departamento de Estado norte-americano.

Na sua opinião, Moscovo deveria ter apenas um "diálogo seletivo" com os Estados Unidos da América (EUA), visando apenas os "assuntos que interessam à Rússia”.

Quanto ao resto, deve haver uma política de "contenção total dos Estados Unidos em todas as direções, porque a política dos EUA em relação à Rússia é profundamente hostil", considerou.

o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros indicou ainda que a ‘bola’ está no campo norte-americano para um renascimento das relações bilaterais e que a Rússia não tencionava "iniciar contactos com a equipa de transição de Biden".

Estes comentários chegam horas depois de o Presidente eleito dos EUA ter prometido responder ao gigantesco ataque cibernético atribuído à Rússia que visava o seu país, acusando Donald Trump de inação.

Segundo Riabkov, a administração cessante dos EUA está a deixar "um pesado legado", tendo adotado múltiplos pacotes de sanções contra a Rússia, incluindo ‘hacking’ e interferência nas eleições presidenciais de 2016.

Tudo está a ir de mal a pior. Isto foi típico dos últimos quatro anos e não há sinais de que esta tendência vá mudar", disse.

/ HCL