Há uma nova polémica a assolar os Estados Unidos da América. A controvérsia surgiu no domingo, depois da revista Vogue ter anunciado, no Twitter, que a próxima capa seria Kamala Harris.

A publicação feita pela revista de moda e “lifestyle”, composta por duas fotografias da vice-presidente norte-americana (uma de corpo inteiro e outra de meio corpo), rapidamente começou a ser partilhada e alvo de críticas por parte dos internautas.

A pouca recetividade do público não se prendeu com o visual de Kamala Harris, mas sim com edição de imagem que "aclarou" o tom da cor da pele da vice-presidente norte-americana.

Nos comentários pouco positivos, dirigidos aos responsáveis da revista, vários utilizadores acusaram a Vogue de “aclarar” a tonalidade da pele da vice-presidente de Joe Biden.

Concertem isso! Quem fez isto tem de ser despedido imediatamente”, reiterou uma internauta no Twitter.

Uma das vozes mais críticas foi o escritor e colaborador do jornal New York Times Wajahat Ali que não poupou a direção da revista: "A Anna Wintour não deve mesmo ter amigos e colegas negros. Faço fotografias da vice-presidente de borla, com o meu Samsung e estou 100% confiante que vão ficar melhor do que estas fotos de capa da Vogue".

No último ano, Anna Wintour já tinha pedido desculpas numa carta dirigida a alguns colaboradores por “erros” publicados em fotografias e artigos vistos como insensíveis com minorias.

A Vogue não encontrou maneiras suficientes para elevar e dar espaço a editores, escritores, fotógrafos, designers e outros criadores negros. Nós também cometemos erros, imagens e histórias publicadas que foram nocivas ou insensíveis com as minorias”, disse Anna Wintour.

A Vogue ainda não confirmou qual das fotos vai usar na capa da revista com Kamala Harris nem se irá publicar ambas. As fotografias foram capturadas por Tyler Mitchell, que ficou conhecido depois de fotografar Beyoncé para a Vogue, em 2018.

De acordo com a publicação, a vice-presidente e a sua equipa foram responsáveis pela escolha do vestuário, do penteado e da maquilhagem.

Nuno Mandeiro