Jordan e Andre Anchondo, dois jovens de 25 e 24 anos, estão entre as vítimas mortais do tiroteio de El Paso, que teve lugar no domingo, num supermercado do Walmart, nos Estados Unidos. Morreram enquanto tentavam salvar o filho de 2 meses.

Nada fazia prever o fatídico destino do casal, que tinha acabado de deixar a filha de cinco anos nos treinos de cheerleading, quando entraram no supermercado com o bebé ao colo, para comprarem material escolar para a mais velha. O Walmart estava cheio de pais como eles, que planeavam o regresso às aulas dos mais novos.

Mas o dia prometia ser especial para Jordan e Andre Anchondo, uma vez que a filha mais velha estava prestes a fazer seis anos e, em algumas horas, os familiares do jovem iriam visitar, pela primeira vez, a nova vivenda do casal, contou Tito Anchondo, irmão de Andre, ao Washington Post.

Contudo, a família estava no local errado à hora errada. As notícias de um tiroteio indiscriminado começaram a circular e os familiares temeram pelos dois, que não atendiam o telemóvel.

A família teve de esperar mais de 24 horas para descobrir o que tinha acontecido a Jordan e Andre Anchondo. Os dois foram encontrados mortos dentro do supermercado. Contudo, contra todas as expectativas, Paul, o filho de ambos, sobreviveu ao ataque.

Leta Jamrowski, irmã de Jordan, contou à Associated Press que, com base nos ferimentos do bebé, pensa-se que a jovem tenha morrido a tentar protegê-lo. Jordan tinha-o nos braços quando perdeu a vida e escudou-o das balas. Quando foi baleada, caiu ao chão, por cima dele.

Ele está vivo porque ela deu a vida por ele”.

Quando as autoridades chegaram ao local, Paul estava debaixo do corpo inanimado da mãe. O sangue dela tingia-lhe as roupas. O peso da queda fez com que o bebé partisse alguns ossos da mão, mas o escudo dos braços de Jordan foi o suficiente para mantê-lo vivo.

Um gesto que Andre Anchondo também terá tentado. O corpo do jovem estava junto ao da mulher e do filho, que se pensa que também tenha tentado escudar ambos das balas.

A família disse, ao The Guardian, que a filha mais velha do casal ainda aguarda pela festa do sexto aniversário e pelo regresso dos pais a casa.

Continua a perguntar pela mãe e o pai”, garantiu Monique Terry, prima de Jordan.

Susana Laires