Um tribunal da Turquia condenou esta quarta-feirafo jornalista da oposição Can Dundar, exilado na Alemanha, a 27 anos de prisão por espionagem e auxílio a uma organização terrorista, informaram media locais.

O tribunal de Istambul considerou Dundar, antigo chefe de redação do diário da oposição Cumhuriyet, culpado por ter publicado em 2015 uma investigação afirmando que os serviços secretos turcos entregavam armas a grupos islamitas na Síria.

Em maio de 2016, Can Dundar foi condenado em primeira instância a cinco anos e 10 meses de prisão por divulgação de segredos de Estado, num caso que provocou a cólera do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Mas este veredicto foi anulado em 2018 por um tribunal superior que determinou um novo julgamento por acusações de espionagem com uma pena maior.

No veredicto desta quarta-feira, o tribunal precisa que Dundar é condenado a 18 anos e seis meses de prisão por “divulgação de informações confidenciais e espionagem”, relacionadas com a publicação da investigação sobre as armas fornecidas a grupos armados islamitas na Síria, e a oito anos e nove meses de prisão por “auxílio a uma organização terrorista”, no caso o movimento do clérigo Fethullah Gulen.

Este, que vive exilado nos Estados Unidos, é acusado por Ancara de ter orquestrado o golpe falhado contra o presidente Erdogan em julho de 2016.

Dundar refugiou-se na Alemanha em 2016 após a sua primeira condenação.

/ HCL