A polícia russa deteve este sábado vários jornalistas que protestaram contra a decisão das autoridades de classificar um canal independente de televisão e um jornal digital como "agentes externos".

Os jornalistas manifestaram-se em frente à sede da principal agência de segurança, FSB, na Praça Lubyanka, em Moscovo, empunhando cartazes onde se lia "Jornalismo não é crime" ou "Vocês têm medo da verdade", noticiou a agência de notícias Associated Press (AP).

A manifestação surge em protesto contra a decisão do Ministério da Justiça, na sexta-feira, de acrescentar o canal televisivo Dozhd e o ‘site’ digital de investigação jornalística Vazhnye Istorii (Notícias Importantes) à lista de "agentes externos".

O Ministério da Justiça usou uma lei para classificar de "agentes externos" as organizações não-governamentais ou pessoas que recebem financiamento do estrangeiro e envolvem-se em atividades descritas genericamente como políticas.

O termo, segundo a AP, implica um escrutínio mais apertado por parte do Governo e tem uma conotação negativa que pode prejudicar a credibilidades dos meios de comunicação social, prejudicando também as perspetivas de angariamento de financiamento publicitário.

O canal de televisão Dozhd tem sido muito crítico da repressão das autoridades russas sobre os dissidentes e frequentemente transmite em direto as manifestações da oposição.

Nas últimas semanas, as autoridades russas têm aumentado a pressão sobre os meios de comunicação independente e da oposição nas vésperas das eleições parlamentares de 19 de setembro, que são consideradas uma parte importante dos esforços do Presidente russo, Vladimir Putin, para cimentar o poder antes das presidenciais de 2024.

/ JGR