O jornalista iraquiano Muntazer Al-Zaidi, de 30 anos, que a 14 de Dezembro do ano passado atirou os sapatos a George W. Bush foi esta quinta-feira condenado a três anos de prisão pelo Tribunal Central Criminal do Iraque, por agressão a um chefe de Estado em visita oficial, noticiam as agências internacionais EFE e France Press.

Zaidi arriscava 15 anos de prisão, depois do seu gesto, numa conferência de imprensa em que o então presidente norte-americano falava ao lado do primeiro-ministro iraquiano. Bush conseguiu desviar-se dos dois sapatos.

Durante a primeira sessão do julgamento, a 19 de Fevereiro, Zaidi assegurou não ter intenção de matar Bush ou envergonhar o primeiro-ministro Iraquiano. Já esta quinta-feira, o arguido declarou-se inocente.

«A minha reacção foi natural, como a de qualquer iraquiano», referiu ao juiz.

A defesa do jornalista tentou provar que Bush não realizou uma visita oficial, mas apenas uma deslocação relâmpago.

Recorde-se que o jornalista estava detido desde o incidente, na «zona verde» de Bagdad, onde se situam os edifícios da administração e as embaixadas estrangeiras.

Em conferência de imprensa, à saída do tribunal, o irmão do condenado referiu que o Iraque não possui uma justiça livre e independente. O jornalista vai recorrer da sentença para a instância superior.