O Partido Popular (PP) espanhol terá violado a Lei de Incompatibilidade em 1996 pagando despesas de representação no valor de 16.755 euros a José María Aznar quando este já era chefe do Governo, segundo o jornal El Pais.

Na sua edição desta sexta-feira, o jornal refere que os pagamentos estão comprovados cruzando informação das Finanças espanholas com a contabilidade oficial do PP, atualmente nas mãos do juiz Pablo Ruz, que investiga o caso do ex-tesoureiro do partido Luis Barcenas.

Segundo esses dados, o PP terá pago «gastos de representação» a Aznar em pelo menos três ocasiões em 1996, quando o também presidente do partido já era presidente do Governo espanhol.
Redação / CM