A Justiça brasileira condenou o ex-governador de Brasília José Roberto Arruda a pagar uma multa e à suspensão por cinco anos dos seus direitos políticos por violação do segredo do sistema de voto eletrónico no Senado, em 2001.

O Tribunal Regional Federal impôs na segunda-feira uma sanção económica equivalente a 100 vezes o salário que Arruda tinha enquanto senador por ter obtido de forma fraudulenta uma lista com o voto eletrónico dos senadores, em maio de 2001, informou a Agência Brasil.

«As penas aplicadas ao caso devem considerar a intensidade do dano causado ao Senado Federal e às demais instituições públicas pelo singular sentimento de descrédito, desconfiança e desmoralização do sistema político nacional», sustenta a sentença.