Kellie Chauvin, casada com o agente que asfixiou George Floyd, iniciou o processo de divórcio. A norte-americana quer ainda deixar de ter o apelido do marido e ficar com a posse das duas propriedades do casal.

Derek e Kellie Chauvin estão separados desde 28 de maio, três dias depois da morte de George Floyd e um dia antes do agente ter sido detido por homicídio em terceiro grau e homicídio involuntário em segundo grau.

De acordo com a imprensa norte-americana, nos documentos entregues por Kellie Chauvin às entidades competentes, pode ler-se que houve um “colapso irrecuperável do casamento”, que não pode ser resolvido.

Kellie não esclarece qual o novo nome que quer adotar. No entanto, nas notas do processo pode ler-se que era conhecida como Kellie Thao e Kellie Xong.

A mulher de Derek Chauvin quer ainda passar a ser a única proprietária das duas casas que o casal possui, em Oakdale, no estado do Minnesota, e Windermere, na Florida.

Por último, pediu uma divisão equitativa dos veículos e das contas bancárias. Kellie deixou claro que não quer nenhum suporte financeiro por parte do marido, uma vez que tem um salário como agente imobiliária.

No domingo, os advogados de Kellie Chauvin emitiram um comunicado. A mulher do agente Derek diz estar “devastada” pela morte de George Floyd e garantiu que “tem a maior simpatia pela família da vítima, entes queridos e por todos os que estão de luto com esta tragédia”.

 

STATEMENT ON BEHALF OF KELLIE CHAUVIN AND HER FAMILY

This evening, I spoke with Kellie Chauvin and her family. She is...

Publicado por Sekula Law Offices, PLLC em Sexta-feira, 29 de maio de 2020

 

George Floyd foi morto, na passada segunda-feira, por um agente caucasiano da polícia de Minneapolis, Derek Chauvin. A vítima mortal ficou sob custódia depois de, alegadamente, ter tentado utilizar uma nota falsa de 20 dólares par fazer uma compra.

O agente esteve durante oito minutos e 46 segundos com o joelho sobre o pescoço de Floyd, enquanto este exclamava: “Não consigo respirar”.

No local, quem assistia implorou a Derek Chauvin que parasse, o que assumiam ser um abuso de força policial. Tal não chegou a acontecer.

George Floyd acabou por morrer pouco depois. Asfixia foi declarada como a causa da morte e Derek Chauvin foi mesmo acusado de homicídio de terceiro grau.

A morte de George Floys está uma onda de revolta, que já provocou vários tumultos nos Estados Unidos da América. Ainda estão a acontecer manifestações um pouco por todo o mundo.

Nova Iorque:

Los Angeles:

Oakland:

Sacramento:

Dinamarca:

Londres:

Amesterdão: 

Nuno Mandeiro