O advogado da filha de Khadafi veio dizer que escreveu uma carta ao Tribunal Penal Internacional a perguntar se tinha sido aberto um inquérito à morte do pai e do irmão.

Segundo a carta a que a Reuters teve acesso, o representante de Aisha Khadafi diz que o pai e o irmão «foram assassinados de forma horripilante, com os corpos expostos e brutalmente abusados, numa total violação da lei islâmica».

O advogado acrescenta que «a difusão da selvajaria, que correu mundo, provocou um distúrbio emocional» na cliente.

O advogado quer ainda saber se o TPI instou as autoridades líbias a fazer uma investigação interna, tal como quer saber se o ataque da NATO, pouco antes da morte do Coronel, deve ser alvo de responsabilidade criminal.