A Coreia do Norte ameaçou estar prestes a lançar um míssil balístico intercontinental (ICBM) depois de Washington ter anunciado que realizou um teste de interceção de mísseis no Pacífico.

Na terça-feira, os Estados Unidos indicaram que um míssil intercontinental lançado da base da Força Aérea de Vandenberg na Califórnia foi intercetado com êxito por um míssil disparado do Centro de Testes Reagan instalado nas ilhas Marshall, no Pacífico.

Na sequência do teste norte-americano a Coreia do Norte diz estar "preparada" para um novo ensaio.

"Nós estamos preparados para lançar os ICBM para onde quisermos, sob as ordens do comandante supremo (Kim Jong-Un). Os Estados Unidos devem ser conscientes de que não é em vão quando falamos do nosso poder para reduzirmos a cinzas o `antro do diabo` com as nossas armas nucleares", escreve o Rodong Sinmun, órgão oficial do partido único no poder em Pyongyang.

Pyongyang anunciou terça-feira o lançamento o disparo de um míssil sobre o mar do Japão o que provocou a condenação de vários países, em todo o mundo.

Tratou-se do terceiro ensaio da Coreia do Norte em três semanas e o décimo segundo desde o princípio do ano, apesar das resoluções das Nações Unidas que interditam Pyongyang a manter o programa balístico e nuclear.