Uma jovem norte-americana foi acordada da anestesia durante uma operação ao cérebro e foi-lhe pedido que cantasse para não perder as capacidades musicais. Kira Iaconetti foi operada para lhe ser removido um tumor que provocava ataques de epilepsia sempre que cantava ou ouvia música.

A equipa de neurocirurgia do hospital de Seattle, nos EUA, fez a craniotomia à adolescente de 19 anos com ela acordada no dia 4 de setembro. Esta operação é feita para preservar funções cognitivas, mas os médicos daquela unidade nunca tinham feito uma cirurgia para preservar capacidades musicais.

Durante a operação, a jovem cantou notas específicas que iluminavam as áreas do mapa cerebral relativas às suas habilidades musicais. Através de um ecrã onde se podia ver o cérebro da jovem, o neurocirurgião conseguiu evitar tocar nas áreas que eram utilizadas quando Kira cantava e conseguiu retirar o tumor sem que as capacidades da jovem fossem afetadas.

O nosso foco não era apenas remover o tumor, mas tornar a vida de Kira melhor”, afirmou o neurocirurgião Jason Hauptman, citado pela People.

Kira sempre teve a música presente na sua vida, mas desde 2014 tudo mudou. Desde essa altura, sempre que cantava ou ouvia música, a jovem sentia que o cérebro se desligava porque não conseguia falar nem cantar. O problema agravou-se e chegou ao ponto de provocar ataques epiléticos.

Parecia que uma luz se desligava no meu cérebro”, afirmou a jovem. "De repente fiquei parcialmente surda, não processava as palavras ao ritmo da música e não conseguia cantar”.

Foi através de uma ressonância magnética que a jovem soube que tinha um tumor calcificado que fazia pressão no córtex auditivo e que provocava as convulsões.

O tumor foi descoberto por causa de uma epilepsia muito incomum, epilepsia musicogénica", explicou o médico responsável pela intervenção.

O tumor estava dentro da área do meu cérebro que controla a minha audição e capacidade de cantar. Mexer nessa zona poderia afetar a minha voz permanentemente. Como o Dr. Hauptamn sabia o quão importante era eu continuar a cantar, ele queria ter muito cuidado a remover o tumor”, explicou Kira.

 

Jason Hauptman mostrou-se satisfeito com o resultado final da cirurgia.

O tumor de Kira foi removido com segurança e conseguimos preservar a sua incrível capacidade para cantar e produzir música. Estou admirado com a coragem de Kira e espero que a sua história possa dar força a outros jovens pacientes que enfrentam adversidades”, afirmou o neurocirurgião.

O vídeo divulgado pelo hospital mostra Kira sob efeito de anestesia durante a parte inicial da cirurgia e o momento em que o neurocirurgião a acordou para que ela colaborasse. Na mesa de operações, Kira cantou a música “Island in the Sun”.

Dois dias depois da intervenção cirúrgica, a jovem já cantava sem qualquer efeito secundário.