A filha do emir do Dubai gravou uma série de mensagens de vídeo secretas, onde acusa o pai de mantê-la refém e afirma que teme pela própria vida.

A princesa Latifa Bint Mohammed al-Maktoum, de 35 anos, está desaparecida desde 2018, após uma tentativa de fuga dos Emirados Árabes Unidos no mesmo ano. Desde então, não voltou a ser vista.

Nas imagens agora divulgadas pelo programa Panorama, da BBC, a princesa alega que foi drogada por soldados enquanto fugia de barco e que estes a levaram de volta para Dubai, onde alegadamente está “refém” numa “vivenda transformada em prisão”.

Estou a gravar este vídeo na casa de banho porque é a única divisão com uma porta que posso trancar. Não posso trancar a porta para o meu quarto. Não há chave. Estou numa vivenda. Sou uma refém e esta vivenda foi transformada numa prisão", diz Latifa nas imagens.

Os vídeos foram divulgados por uma amiga de Latifa, Tiina Jauhiainen, um primo materno, Marcus Essabri, e o advogado David Haigh. Os três têm feito parte de uma campanha internacional pela libertação da princesa. Foram eles, aliás, que conseguiram fazer chegar a Latifa um telemóvel, cerca de um ano depois de ter sido capturada e de ter regressado ao Dubai.

Há cinco polícias fora da casa e duas polícias dentro da casa. Não posso nem sair para apanhar um pouco de ar. A cada dia que passa preocupo-me mais com a minha segurança e com a minha vida. Não sei se vou sobreviver a isto. A polícia ameaçou-me, dizendo que vou passar o resto da minha vida trancada e que nunca mais verei a luz do sol. Estou a chegar a um ponto em que estou tão cansada. Só quero ser livre. Não sei o que pensam fazer comigo. A situação está a ficar cada vez mais desesperante", acrescenta.

Entretanto as mensagens secretas pararam de chegar e os amigos da princesa estão a pedir à ONU para intervir.

A ex-alta comissária da ONU para os direitos humanos, Mary Robinson, que descreveu Latifa como uma "jovem problemática" depois de conhecê-la em 2018, diz agora que foi "terrivelmente enganada" pela família da princesa.

Robinson juntou-se aos apelos por uma ação internacional para estabelecer a condição atual de Latifa e o seu paradeiro.

Continuo muito preocupada com Latifa. As coisas mudaram. Por isso, acho que deve ser investigado", afirmou.

Já o Dubai e os Emirados Árabes Unidos alegam que a princesa está a salvo e sob os cuidados da família.

O emir Mohammed bin Rashid Al Maktoum é um dos chefes de estado mais ricos do mundo, governante de Dubai e vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos.

Latifa não é a única na família a tentar fugir do país. A madrasta e sexta mulher do emir do Dubai, a princesa Haya Bint Al Hussain, conseguiu fazê-lo: está com os dois filhos em Londres, desde 2019.

O programa Panorama verificou de forma independente os detalhes sobre o local onde Latifa foi detida.

Rafaela Laja