Uma escola no Oregon, Estados Unidos, obrigou alunos homossexuais, bisessexuais e transsexuais a ler a Bíblia como castigo, revelou o jornal Coos Bay World. 

Os jornais divulgaram uma carta que foi enviada pelo Departamento de Educação de Oregon ao Diretor da Escola North Bent, Bill Yester.

Em conclusão, o departamento confirma que os alunos estavam a ser discriminados com base no seu sexo e orientação sexual", escreveu Mark Meyer na carta. 

No documento pode-se ainda ler que os alunos estavam a ser forçados a ler a Bíblia como punição e que até eram vigiados pelos funcionários da escola.

No entanto, o departamento de Educação de Oregon confirmou que esta não é a primeira vez que a escola usa a leitura da Bíblia como castigo e lembra ainda que a escola não fez nada quando um estudante chamou 'bicha' a dois alunos que estavam de mãos dadas. A escola já reagiu e disse que este tipo de castigo só foi usado uma vez. 

A União Americana pelos Direitos Civis já confirmou que está a investigar o caso. 

Está marcada uma audiência para o dia 24 de maio para determinar se os funcionários da escola, que usaram a Bíblia como força de autoridade, foram ou não discriminatórios .  

Se a escola vier a ser responsável pode perder fundos de financiamento e ser ainda proibida de participar em atividades com outras escolas.