Pelo menos seis pessoas morreram e várias ficaram feridas durante uma manifestação em Beirute, nesta quinta-feira, confirmou o ministro libanês do Interior, Bassam Mawlawi.

Os manifestantes participavam num protesto contra o juiz que decidiu, na terça-feira, suspender a investigação à explosão no porto de Beirute, protesto esse, em frente ao Palácio da Justiça, que culminou em violência armada.

Uma das vítimas mortais, uma mulher, de 24 anos, estava dentro de casa quando foi atingida na cabeça por uma bala perdida, segundo fonte hospitalar citada pela agência France Presse.

A Cruz Vermelha dá conta de, pelo menos, 30 feridos.

Outras testemunhas citadas pela agência Associated Press falam em disparos contra os manifestantes a partir de edifícios.

O exército foi acionado em peso para o local.

O protesto foi convocado pelo movimento xiita libanês Hezbollah, que, na quarta-feira, acusou os Estados Unidos de interferir na investigação sobre a explosão do ano passado no porto de Beirute.

A explosão, que aconteceu a 4 de agosto de 2020 foi causada pelo armazenamento sem segurança de uma enorme quantidade de nitrato de amónio. Morreram 214 pessoas, mais de 6.500 ficaram feridas, além da destruição de vários bairros de Beirute.

Veja também:

Catarina Machado