O primeiro-ministro francês, Jean Castex, tem recebido lingerie pelo correio, como forma de um protesto que está a ser levado a cabo por proprietários de lojas de lingerie, cujos estabelecimentos foram obrigados a fechar durante o período de confinamento no país.

Os protestantes têm partilhado fotografias na internet das roupas que têm enviado a Castex, dentro de um envelope, juntamente com uma carta a explicar as reivindicações do grupo.

O protesto, do grupo Action Culottée, foi organizado depois de as lojas de roupa interior terem sido classificadas como comércio não-essencial e obrigada as fechar portas, como forma de conter a disseminação do novo coronavírus. 

Conseguimos que o número de participantes chegasse aos 200 lojistas”, disse Nathalie Paredes, dona da loja Sylvette Lingerie em Lyon e criadora do projeto, à CNN. "(Isso) significa que 200 cuecas" foram enviadas ao primeiro-ministro, acrescentou.

 

Nós esperamos trazer à tona a situação crítica pela qual centenas de lojas de roupas interior em toda a França estão a passar”, referiu ainda o grupo.

Veja o vídeo:

Lara Ferin