Uma mulher natural do Azerbaijão é o primeiro alvo de uma nova lei anticorrupção do Reino Unido, que pretende evitar que cidadãos estrangeiros supostamente corruptos lavem dinheiro no país.

De acordo com a Associated Press, Zamira Hajiyeva, de 55 anos, já recebeu uma ordem de um tribunal britânico para explicar a origem dos 18,2 milhões de euros que gastou durante uma década em compras nos armazéns Harrods, em Londres. Além disso, Zamira Hajiyeva chegou a gastar 172 mil euros, num dia, na loja de luxo Boucheron.

Nas compras de luxo, que incluíam joias, relógios, perfumes e vinhos, Zamira usava 35 cartões de crédito diferentes e todos emitidos pelo banco estatal do Azerbaijão, onde o marido era gerente.

Zamira Hajiyeva foi presa pela polícia de Londres na semana passada, depois de um pedido de extradição feito pelo Azerbaijão, onde a mulher enfrenta duas denúncias de corrupção.

Este é o primeiro caso em que a justiça inglesa recorre à lei Unexplained Wealth Orders (Ordem para Riquezas não Explicadas, UWO na sigla em inglês), que foi introduzida este ano. A nova lei obriga os proprietários a explicar a origem do dinheiro investido. Caso um suspeito não consiga provar que o dinheiro é de fontes legítimas, as autoridades podem confiscar-lhe as propriedades.

Os investigadores da National Crime Agency (agência de combate ao crime organizado do Reino Unido) acreditam que há milhões de dólares de dinheiro sujo investidos em propriedades britânicas, mas é praticamente impossível imputar algum crime aos proprietários, devido à falta de provas.

O marido de Zamira Hajiyeva, Jahangir Hajiyev, é o antigo presidente do International Bank of Azerbaijan (Banco Internacional do Azerbaijão) e, em 2016, foi sentenciado a uma pena de 15 anos de prisão no Azerbaijão por fraude e desvio de dinheiro.

O casal vive em Londres com os filhos numa casa perto dos armazéns Harrods, no elegante bairro de Knightsbridge, há cerca de dez anos. O imóvel, avaliado em 13 milhões de euros, foi comprado por uma empresa sediada nas Ilhas Virgens Britânicas – que já foram consideradas um paraíso fiscal.

Além disso, Zamira comprou ainda um campo de golfe, em Inglaterra, avaliado em 13 milhões de euros, e um avião particular, com um valor estimado em 36 milhões de euros.

A alegada suspeita nega ter cometido qualquer ilegalidade e está a lutar na justiça para manter as propriedades que detém no Reino Unido. De acordo com Zamira, o marido conseguiu fazer fortuna por ter sido um homem de negócios legítimo e bem sucedido, antes de se tornar gerente do banco.

A Agência Nacional do Crime do Reino Unido afirmou que Jahangir Hajiyev foi funcionário público entre 1993 e 2015, função na qual seria impossível amealhar tamanha fortuna.