"Se vir este homem, por favor, peça-lhe para contactar o FBI para responder às questões deles". A frase, em letras garrafais, lê-se num cartaz colado num autocarro que passou esta sexta-feira várias vezes junto ao Palácio de Buckingham, em tudo semelhante a um autocarro escolar norte-americano. Para que não haja dúvidas, o pedido surge ao lado de duas fotografias do príncipe André, um dos quatro filhos da rainha Isabel II.

Trata-se de uma provocação de Gloria Allred, cujo endereço de site também se lê no mesmo poster. A advogada norte-americana representa algumas das vítimas de Jeffrey Epstein, o multimilionário que se terá suicidado na prisão depois de ser acusado de tráfico sexual de menores. 

 

Recorde-se que o príncipe André se afastou das funções reais no passado mês de novembro, depois de uma entrevista à BBC sobre a amizade que mantinha com Epstein, que conheceu em 1999, quando se separou da ex-mulher Sarah Ferguson.

O filho da rainha Isabel II veio dizer que estava disponível para colaborar com as autoridades norte-americanas, mas os advogados do caso acusam-no de "cooperação zero".

Se o príncipe André não fez nada de mal, então cabe-lhe falar com o FBI  num momento que lhe seja conveniente e dizer o que sabe", afirmou no final de janeiro a advogada Lisa Bloom, parte de uma equipa que representa cinco mulheres que acusam Epstein.

Gloria Allred, a advogada que enviou ao príncipe o "recado" no autocarro, já revelou publicamente que enviou uma carta ao filho da monarca a pedir que cooperasse, mas não obteve resposta. 

Acusado de agressões sexuais pelo procurador de Manhattan, Epstein foi encontrado morto na sua cela numa prisão de Nova Iorque, a 10 de agosto de 2019. 

André foi envolvido no escândalo no final de 2019, devido à sua proximidade com Epstein. O duque de Iorque, agora com 60 anos, foi acusado por uma mulher, recrutada pelo falecido financeiro, de a ter forçado a ter relações sexuais com ele, apesar de ser menor.

O segundo filho da rainha Isabel II, conhecido por apreciar a companhia de membros do designado 'jet-set', defendeu-se durante uma entrevista calamitosa na BBC, em resultado da qual teve de se demitir das suas funções oficiais.
 

/ BC