Uma mulher vietnamita que viajou entre Londres e Hanoi infetou pelo menos 15 pessoas, 14 eram passageiros do mesmo voo, que se sentaram perto dela e outro era membro da tripulação. O voo já aconteceu a 2 de março, mas o caso só agora é conhecido, depois de estudado pelo Centers for Disease Control and Prevention (CDC).

De acordo com o estudo divulgado pelo CDC, a mulher de 27 anos apresentava sintomas como garganta inflamada e tosse, quando embarcou. Quatro dias depois do voo, fez o teste para o novo coronavírus e testou positivo.

O risco de transmissão de SARS-CoV-2, durante voos de longo curso, é real e pode constituir a causa de surtos com dimensão substancial. Mesmo em classe executiva, onde há mais espaço entre os assentos, que vai muito além do que é usado para estabelecer contactos próximos em aviões”, alerta o estudo.

O voo em causa, da Vietnam Airlines, transportava um total de 217 pessoas. Na altura, ainda não era obrigatório o uso de máscaras nos aviões ou aeroportos. Contudo, no aeroporto de Hanoi já se fazia o controlo da temperatura.

No estudo do CDC, não é claro se a mulher foi identificada no aeroporto com temperatura elevada. Sabe-se que procurou assistência médica num hospital de Hanoi, foi testada e diagnosticada com covid-19.

Além dos 14 passageiros, do membro da tripulação, outros quatro contactos da mulher em Londres foram diagnosticados com a doença.

Manuela Micael