Mark Stembridge é proprietário do Café Brood, no Mercado de Borough, em Londres, um dos locais onde, este sábado à noite, houve um atentado que matou sete civis e feriu quase 50.

Na última noite, estavam 130 pessoas dentro do café, quando os terroristas começaram a correr em direção ao Brood, mostrando a intenção de entrar. Hoje, no dia a seguir ao ataque, Mark elogia a rapidez de pensamento e de ação dos seus colaboradores, que permitiu salvar a vida a todas as pessoas que estavam no estabelecimento.

Alguns dos funcionários do Café Brood já foram militares e isso ajudou na hora em que Mark lhes ordenou que retirassem toda a gente da esplanada, quando viu três homens a correr em direção ao edifício, enquanto brandiam facas.

Não lhe sei dizer exatamente o que gritavam, mas parecem ter hesitado, quando viram a nossa capacidade de organização”, disse Mark Stembridge, à edição britânica do HuffPost.

 

Eles desviaram em direção a outro estabelecimento chamado Borough Bistro.”

Mark Stembridge viu-se confrontado diretamente com o terror pela primeira vez. Não coloca a hipótese de fechar portas por causa do medo. “É preocupante, porque é um local muito familiar. Nós contamos com os nossos clientes. Acho que eles vão voltar. É uma coisa muito britânica. Por eles, nós vamos voltar e fazer o nosso trabalho”, disse.

Mark Stembridge elogia a atuação da polícia este sábado e pede mais efetivos na zona, assim como treino específico de proprietários e funcionários de restaurantes e bares para lidar com o terrorismo.

O ataque de sábado em Londres fez sete vítimas mortais, além dos três terroristas, que foram abatidos pela polícia. Pelo menos 48 pessoas ficaram feridas, algumas em estado muito grave.

Manuela Micael