A polícia londrina ainda não identificou o homem responsável pelo ataque desta tarde. 

A Scotland Yard pensa conhecer o suspeito, mas não confirma que já esteja esclarecida a sua identidade. Em conferência de imprensa, Mark Rowley, subchefe adjunto da polícia metropolitana de Londres e responsável máximo pela unidade de contraterrorismo, afirmou que as autoridades não vão comentar sobre a identidade do homem.

Mark Rowley afirmou, apenas, que o atacante se terá inspirado em atentados terroristas islâmicos.

Rowley atualizou, também, o número de mortos e feridos, que subiram para cinco e 40, respetivamente. Três dos feridos são agentes da polícia, dois dos quais estão em estado grave.

Foi, também, identificado o polícia que foi esfaqueado mortalmente em frente ao parlamento britânico. Trata-se de Keith Palmer, um homem de 48 anos, 15 ao serviço da Scotland Yard.

Rowley pediu, ainda, aos cidadãos com informações sobre atividades suspeitas que contactem as autoridades.

Terroristas têm um objetivo claro: destruir a confiança e espalhar o medo. (...) Pedimos aos cidadãos que estejam alerta e reportem atividades suspeitas", afirmou.

Ao início da tarde desta quarta-feira, um carro atravessou a ponte de Westminster, em Londres, e abalroou várias pessoas. Parou junto ao parlamento britânico, tendo o suspeito esfaqueado um polícia junto ao edifício.

O homem foi atingido a tiro pelas autoridades.

Entre os feridos está um jovem português de 26 anos, que já recebeu alta hospitalar.

Élvio Carvalho