A energia na maior parte da cidade de Nova Orleães só deve ser reposta a partir da próxima quarta-feira, dia 9 de setembro, 10 dias depois da passagem do furacão Ida, que deixou um rasto de destruição no estado do Luisiana, onde perto de um milhão de pessoas continuam sem eletricidade.

A empresa Entergy, que fornece energia à cidade, emitiu um comunicado no qual pede paciência e compreensão aos consumidores, que agora são confrontados com uma vaga de calor, perante a impossibilidade de ligarem ares condicionados ou ventoinhas.

Ao todo, mais de 25 mil funcionários estão a trabalhar nos 14 mil postos danificados pela tempestade, que partiu 2.200 transformadores e destruiu 150 estruturas de transmissão.

Entendam que centenas de funcionários estão a trabalhar dia e noite para repor a energia. Vamos continuar a trabalhar com toda a comunidade até o fazermos", afirmou o presidente do grupo, Rod West, em declarações citadas pela agência Associated Press.

Mas há zonas onde a reposição de energia pode levar ainda mais tempo, como o este e sul de Nova Orleães, fustigados durante horas por ventos de 160 quilómetros por hora.

Até lá, os cerca de 400 mil habitantes da maior cidade do estado do Luisiana terão de viver sem energia ou com recurso a geradores. A situação mais crítica era nos hospitais de Nova Orleães, onde a energia já voltou a funcionar.

O furacão Ida evoluiu para o norte do país, transformando-se numa tempestade devastadora que já provocou a morte a mais de 40 pessoas no nordeste dos Estados Unidos, nomeadamente em Nova Iorque e Nova Jérsia. No estado do Luisiana pelo menos 13 pessoas perderam a vida.

António Guimarães