A empresa estatal bielorrussa Gomeltransneft vai restringir o fluxo de petróleo exportado para a Polónia, durante os próximos três dias, de acordo com a agência de notícias russa TASS

Em causa está uma “manutenção não programada” que começou na terça, no entanto, a meta mensal de fornecimento de petróleo não foi revista, garante o porta-voz da empresa Transneft, empresa russa proprietária do oleoduto. 

O oleoduto afetado começa na província de Samara, na região do rio Volga, e atravessa os territórios da Bielorrússia, Ucrânia, Polónia, República Checa, Eslováquia, Alemanha, Hungria, Letónia e Lituânia.

A restrição acontece numa altura em que as tensões entre Polónia e Bielorrússia se têm vindo a intensificar, devido à crise migratória que se vive na fronteira entre os dois países.

Recorde-se que, na quinta-feira, Lukashenko ameaçou fechar a passagem do gás russo pelo gasoduto Yamal-Europa se Bruxelas adotar “sanções inaceitáveis” contra o seu regime.

Vários milhares de migrantes, que querem entrar na União Europeia (UE), estão bloqueados há vários dias junto à fronteira da Bielorrússia com a Polónia.

Na sexta-feira, o porta-voz da presidência russa (Kremlin), Dmitri Peskov assegurou que o fornecimento de gás russo à Europa vai continuar, apesar das ameaças da Bielorrússia de fechar as válvulas de um grande gasoduto que passa pelo seu território em caso de sanções europeias.

A Rússia “é e continuará a ser um país que cumpre todas as suas obrigações de fornecimento de gás aos consumidores europeus”, garantiu Dmitri Peskov.