O Tribunal Federal da 4ª Região (TRF-4) manteve a sentença a que tinha sido condenado o antigo presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva, no processo do Sitio de Atibaia. Em julgamento realizado de forma virtual, o TRF-4 recusou, de forma unânime, o recurso interposto pela defesa do ex-presidente.

As sessões do tribunal passaram a ser realizadas de forma virtual, por causa da pandemia do novo coronavírus. Lula da Silva tinha também apresentado recurso para que as sessões fossem presenciais, mas também isso foi negado.

O julgamento do recurso de Lula da Silva teve início a 27 de abril e terminou esta quarta-feira.

Lula da Silva tinha sido condenado, em novembro do ano passado, a 17 anos, um mês e 10 dias, por causa do processo de Atibaia, um sítio no interior de São Paulo. De acordo com a acusação, a quinta de Atibaia, utilizada pela família do ex-presidente, teria sido restaurada por construtores que lhe terão pago subornos em troca de benefícios em contratos com a Petrobrás.

Lula da Silva mantém que é inocente. No recurso, a defesa falava de contradições e dúvidas no acórdão que sustenta a sentença.

Na primeira instância, o ex-presidente tinha sido condenado neste processo a 12 anos e 11 meses. Recorreu e viu a sentença agravada.

É o segundo processo a que Lula da Silva respondeu na Justiça Federal, na sequência da investigação na Lava Jato. O primeiro foi o caso Triplex, pelo qual foi condenado e preso.

Manuela Micael