A McDonald's foi obrigada a pedir desculpa pela divulgação de um novo anúncio, que provocou uma chuva de críticas.

O vídeo, transmitido pela primeira vez a 12 de maio na televisão britânica, mostra um filho a conversar com a mãe acerca da morte do pai. O jovem pré-adolescente faz perguntas em busca de semelhanças com o progenitor. Aparentemente, os dois não têm nada em comum.

Ao chegar a um restaurante McDonald's, a criança pede um McFish (hambúrguer de peixe) e a mãe aponta uma semelhança: “Esse também era o preferido do teu pai.”

De imediato soaram os alarmes na organização Grief Encounter, que se dedica a prestar assistência a menores de luto.

Os consumidores acusam a empresa de explorar uma situação extremamente emocional com fins puramente comerciais e o The Advertising Standars Authority, regulador de publicidade britânico, foi inundado com queixas.

“Analisaremos todas as queixas para averiguar se há motivos para investigar o anúncio”, afirmou o porta-voz do organismo.

 

Em declarações à BBC um porta-voz da McDonald’s lamentou o sucedido.

Nunca foi nossa intenção [ofender]. Queríamos apenas destacar o papel da McDonald's na vida diária dos nossos clientes, nos bons e nos maus momentos”.

Mas o mesmo porta-voz confirmou que o anúncio, criado pela agência de publicidade Leo Burnett, continuará a ser exibido.

Shelley Gilbert, diretora da Grief Encounter, argumenta que "o anúncio explora a dor de órfãos e é ofensivo".

Uma em cada 29 crianças, com menos de 16 anos, no Reino Unido, já sofreu a morte de um familiar próximo.

Para Gilbert, "a cadeia de restaurantes tem tentado, sem sucesso, explorar a dor das crianças e conectar-se emocionalmente com elas através de uma campanha de publicidade televisiva dirigida a um público que é vulnerável."