O promotor público de Lyon, Nicolas Jacquet, anunciou a detenção de uma pessoa suspeita de ter baleado, este sábado, um padre ortodoxo no interior de uma igreja localizada numa zona residencial da cidade.

“Foi colocada sob custódia policial uma pessoa que pode corresponder à descrição das primeiras testemunhas [ouvidas]”, indicou o magistrado, adiantando, no entanto, que o suspeito não tinha consigo nenhuma arma no momento da detenção.

“As investigações vão continuar visando apurar a sua eventual implicação”, acrescentou Nicolas Jacquet, em comunicado, citado pela agência France-Presse.

Um padre da igreja ortodoxa grega foi baleado no interior de um templo na cidade de Lyon, no leste de França, tendo o agressor, que estaria sozinho, fugido.

A vítima, que sofreu ferimentos graves, indicou não conhecer o agressor enquanto estava a ser retirada do local, que se encontra cercado pelas forças policiais.

Informações entretanto avançadas pela agência Associated Press revelam que o religioso foi baleado duas vezes no abdómen e que o ataque aconteceu quando se preparava para fechar o templo, localizado num bairro conhecido como Jean Mace.

Relativamente às motivações deste ataque, o prefeito de Lyon, Gregory Doucet, afirmou que “nenhuma teoria pode ser descartada” uma vez que, nesta altura, não são conhecidos os motivos.

Este ataque aconteceu dois dias depois do atentado na basílica de Nossa Senhora, em Nice (sul de França), que resultou na morte de três pessoas.

Os incidentes levaram o governo francês a reforçar a segurança nos templos religiosos na véspera do feriado cristão de Todos os Santos.

/ Publicado por MM