Os pais de Madeleine McCann afirmam manter a esperança de voltar a ver a filha, numa comovente mensagem publicada no site Find Madeleine, dias antes do 18.º aniversário da menina que desapareceu com quatro anos, enquanto a família britânica passava férias na Praia da Luz, no Algarve.

Kate e Gerry McCann recordaram que, para o casal, todos os meses de maio são difíceis, mas que este é particularmente marcante, uma vez que Madeleine faria 18 anos no dia 12 de maio.

Todo o mês de maio é difícil – uma lembrança de anos passados, de anos perdidos ou roubados. Este ano é particularmente comovente, pois deveríamos estar a comemorar o 18.º aniversário de Madeleine”, pode ler-se no site.

O casal britânico lembrou que a pandemia de covid-19 tornou a busca pela filha ainda mais difícil, mas que, apesar de todos os desafios, as autoridades continuaram os seus esforços para descobrir o paradeiro de Maddie. Por isso, os McCann garantem manter a esperança de voltar a ver a filha, “por menor que seja”.

A pandemia de covid-19 tornou este ano ainda mais difícil por muitos motivos, mas felizmente a investigação para encontrar a Madeleine e o seu sequestrador continuou. Mantemos a esperança, por menor que seja, de voltar a ver Madeleine outra vez. Como já dissemos várias vezes, precisamos de saber o que aconteceu com a nossa querida filha, aconteça o que acontecer. Estamos muito gratos à polícia pelos seus esforços contínuos”, acrescenta o casal.

Kate e Gerry guardam ainda uma palavra de agradecimento a todos aqueles que, passados vários anos, mantêm o apoio ao casal e continuam a enviar mensagens a desejar boa sorte.

Ainda recebemos tantas palavras positivas e votos de boa sorte, apesar dos anos que já passaram. Tudo ajuda e por isso estamos realmente gratos – obrigado”, frisam os pais de Madeleine.

Recorde-se que Madeleine McCann desapareceu a 3 de maio de 2007, poucos dias antes de fazer quatro anos, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico na Praia da Luz e o seu desaparecimento tornou-se um caso mediático à escala global.

A polícia britânica começou por formar uma equipa em 2011 para rever toda a informação disponível, abrindo um inquérito formal no ano seguinte, tendo até agora gasto perto de 12 milhões de libras (14 milhões de euros) no processo. 

A PJ reabriu a investigação em 2013, depois de o caso ter sido arquivado pela Procuradoria-Geral da República em 2008, ilibando três arguidos, os pais de Madeleine, Kate e Gerry McCann, e um outro britânico, Robert Murat.