Foram encontradas roupas de criança e 8.000 ficheiros de abusos sexuais de menores na autocaravana de Christian Brueckner, o principal suspeito do desaparecimento de Maddie, revela uma investigação da Spiegel TV, divulgada nesta quarta-feira.

A autocaravana foi descoberta em 2016 num terreno propriedade de Christian Brueckner, junto a uma fábrica desativada em Neuwegersleben, perto de Brunsvique, no estado alemão da Baixa Saxónia, quando as autoridades investigavam o desaparecimento de Inga Gehricke, de cinco anos. O terreno foi adquirido em 2010.

O veículo, um Tiffin Allegro, branco e vermelho-escuro, terá sido avistado em Portugal, não sendo claro se foi em 2007, aquando do desaparecimento de Madeleine McCann, de três anos. 

Nos seis dias em que a polícia alemã realizou perícias à autocaravana e à zona encontrou várias peças de roupa de criança, na sua maioria fatos de banho, e seis pen drive contendo mais de 8.000 ficheiros, a maior parte fotos e vídeos de abusos sexuais de menores. Estes dispositivos encontravam-se num saco, dentro de um buraco no chão, por baixo do cadáver do cão de Christian Brueckner.

O alemão, de 43 anos, foi apenas condenado por posse de pornografia infantil, não tendo a polícia encontrado provas que o ligassem ao desaparecimento de Inga. Um processo que foi recentemente reaberto, depois de, no início de junho, Brueckner ter sido considerado pelas autoridades britânicas, alemãs e portuguesas o suspeito formal do desaparecimento de Maddie.

No mesmo documentário da Spiegel TV, um homem identificado como Bjorn R. disse ter conhecido Brueckner em Portugal. Numa das conversas que teve com o suspeito, aquele terá dito que naquela autocaravana conseguia transportar droga e crianças sem que ninguém desse conta.

O advogado de Christian Brueckner afirmou já, segundo vários órgãos de comunicação social, que o seu cliente nega qualquer envolvimento no desaparecimento de Maddie.

Segundo, ainda, o representante do suspeito, foi pedida a sua libertação, uma vez que já cumpriu dois terços da pena de 21 meses a que foi condenado por tráfico de droga. Brueckner também foi condenado a sete anos de prisão por violação de uma cidadã norte-americana, de 72 anos, no Algarve, mas a sua defesa recorreu e a pena está suspensa. Christian Brueckner poderá, assim, ser libertado já no próximo mês.

Catarina Machado