Um motorista de ambulância deslocou-se esta tarde ao Hospital Príncipe de Astúrias, em Alcalá de Henares (região de Madrid), e cortou a garganta de um enfermeiro do Serviço de Urgências. A vítima tinha 41 anos. O autor do crime foi imediatamente detido, segundo relata a imprensa espanhola.

De acordo com as primeiras informações, o motorista da ambulância, funcionário do Ministério da Saúde, estava de folga mas vestiu o uniforme e foi ao hospital por volta das 14:20. Entrou na sala do pessoal de emergência e começou a discutir com o enfermeiro. O homem sacou então de uma arma branca e cortou o pescoço do enfermeiro.

Os colegas da vítima tentaram reanimá-lo e levaram-no de imediato para a sala de cirurgias, mas não conseguiram salvá-lo. 

O falecido é Sergio Luis G., sindicalista da Assembleia do Movimento dos Trabalhadores da Saúde (MATS), segundo fontes policiais. As primeiras investigações sugerem que já tinha havido problemas anteriores entre os dois homens.

Segundo o jornal El Mundo, o assassino, separado e com dois filhos, estava noivo de uma enfermeira daquele hospital. O motivo da discussão terá sido uma alegada infidelidade, avança o jornal.

O agressor foi detido por dois agentes da Polícia Nacional que se encontravam no hospital. Foi depois transferido para a esquadra de Alcalá e acusado de crime de homicídio.

Especialistas da Polícia Científica e da Polícia Judiciária deslocaram-se ao Príncipe das Astúrias para recolher provas e apurar mais pormenores sobre o crime.

Maria João Caetano