A jovem ativista ambiental sueca Greta Thunberg disse esta sexta-feira que espera que a cimeira do clima da ONU em Madrid (COP25) "alcance coisas concretas" e que aumente a consciencialização da população para a luta contra a crise climática.

Espero sinceramente que a COP25 alcance coisas concretas", declarou numa conferência de imprensa em Madrid, onde chegou esta sexta-feira proveniente de Lisboa.

Segundo Greta Thunberg, que falava perante uma multidão na capital espanhola, onde decorre a cimeira até 13 de dezembro, "há uma emergência visível em relação às alterações climáticas".

Mas não parece que as pessoas a vejam dessa maneira", afirmou, na conferência de imprensa que deu juntamente com outros ativistas, frisando que não se pode esperar "nem mais um dia" para atuar com "medidas reais".

 

Não podemos esperar mais tempo. As pessoas sofrem ou morrem devido à emergência climática", reafirmou, reiterando o apelo aos políticos para agirem em conformidade com a urgência da situação.

Greta Thunberg falou horas depois de ter chegado a Madrid, onde visitou de surpresa a sede da COP25. A jovem ativista viajou até Madrid num comboio que apanhou na quinta-feira à noite na Estação de Santa Apolónia, em Lisboa, cidade onde aportou na terça-feira.

A COP25 é significativa, não podemos esperar pela COP26 [que se realiza em novembro de 2020 na cidade escocesa de Glasgow], não podemos permitir meio ano, mais dias para uma ação real. A COP25 não é algo que deva ser ignorado e adiado", sublinhou.

A adolescente sueca, que iniciou em 2018 um movimento de greve às aulas todas as sextas-feiras contra o aquecimento global, e que se estendeu a vários países, participa hoje à tarde na Marcha pelo Clima, que se realiza na capital espanhola à margem da COP25.