Um passageiro transtornado e agitado tentou entrar, quarta-feira, no cockpit de um avião da Malaysia Airlines, que rumava a Kuala Lumpur, obrigando-o a regressar ao aeroporto de onde tinha partido, Melbourne, na Austrália. A bordo do avião, este homem acabou por ser detido por outros três passageiros, que o imobilizaram até à chegada das autoridades.

Um dia depois do incidente começam a ser revelados mais pormenores do que aconteceu e algumas testemunhas descrevem de “heróis” os três passageiros que conseguiram controlar o homem. Relatam ainda que este tinha na sua posse um objeto “pouco usual”, que dizia ser uma bomba.

O aparelho aterrou em segurança e o homem foi detido. Mais tarde a polícia fez também saber que o objeto “não tinha explosivos”. Foi um grupo de polícias fortemente armados que entrou no aparelho e efetuou a detenção. Esse momento ficou registado em vídeo por outros passageiros.

 

Ele correu para a parte de trás do avião e três heróis australianos atiraram-no ao chão" e conseguiram imobiliza-lo, contou à BBC Andrew Leoncelli, que também estava a bordo.

O passageiro que obrigou ao desvio da rota e regresso do voo MH128 da Malaysia Airlines a Melbourne, era oriundo do Sri Lanka e tinha 25 anos de idade. Antes de apanhar o avião teria tido alta de uma instituição psiquiátrica, confirmou o comissário da polícia de Victoria, Graham Ashton. O que inicialmente se temeu ser um "incidente terrorista" acabou por se revelar "um caso relacionado com um problema de saúde mental", assumiu Graham Ashton.

Mr Leoncelli, contou ainda à BBC que o homem pediu para falar com o capitão, "antes de ficar muito agitado" e fazer "ameaças". Quando se apercebeu da situação, dirigiu-se a outros passageiros dizendo que era "preciso fazer alguma coisa". "Não vou identificar os passageiros que o seguraram, mas eles foram fantásticos", acrescenta.

O avião da Malaysia Airlines tinha a bordo 337 passageiros e o incidente aconteceu 30 minutos depois de ter partido da Asutrália rumo à Malásia.