Mais de 10 mil mulheres marcharam hoje em Minsk, capital da Bielorrússia, contra a violência policial e exigiram a libertação dos presos políticos do regime do Presidente Alexander Lukashenko, reeleito em 09 de agosto sob contestação.

O protesto foi seguido pela polícia, que tentou várias vezes bloquear e desmobilizar as manifestantes, que ostentavam flores, bandeiras e sombrinhas brancas e vermelhas.

"Estamos aqui contra a violência, exigimos a libertação dos presos políticos e, claro, novas eleições", afirmou uma das manifestantes, Polina, profissional da música, citada pela agência Efe.

A crise na Bielorrússia foi desencadeada após as eleições de 09 de agosto, que, segundo os resultados oficiais, reconduziram o Presidente Alexander Lukashenko, no poder há 26 anos, para um sexto mandato, com 80% dos votos.

A oposição considerou que a eleição foi fraudulenta e milhares de bielorrussos saíram às ruas por todo o país para exigir o afastamento de Lukashenko.

Os protestos têm sido duramente reprimidos pelas forças de segurança, com milhares de pessoas detidas e centenas de feridos.

/ AM