Milhares de manifestantes estão, este domingo, a marchar pelas ruas de Hong Kong como forma de protesto contra o projeto de lei que permite extradições para a China, Macau e Taiwan. 

O protesto foi convocada pela oposição e deve levar para as ruas pelo menos meio milhão de pessoas. Por essa razão, a segurança também foi reforçada e encontram-se mais de 1600 polícias a acompanhar a manifestação. 

O branco foi a cor predominante e a escolhida para este protesto, bem como guarda-chuvas amarelos, símbolo das manifestações em favor da democracia em 2014.

Em causa, uma lei que vai permitir a extradição de pessoas suspeitas de crimes políticos ou religiosos, para qualquer país que não tenha um acordo formal, incluindo a China, para serem julgadas. 

O diploma volta a ser discutido no Conselho Legislativo (parlamento) durante a próxima semana. 

Aqueles que estão contra esta medida, alegam que esta vai por em causa a liberdade de qualquer pessoa que desafie Pequim, e que estariam sujeitas a detenções arbitrárias, julgamentos injustos e tortura sob o sistema judicial da China.

Um projeto de lei que já foi criticado pelos Estados Unidos e pela União Europeia.

Nas redes sociais, já circulam várias imagens e vídeos das ruas de Hong Kong repletas de manifestantes.

/ CE