Aparentemente chegou ao fim a manifestação dos "coletes amarelos" deste sábado. Nas ruas de Paris já se circula, depois de terem sido detidas mais de 100 pessoas neste que é o quinto sábado consecutivo de protestos dos "coletes amarelos" em França. Para dispersar os manifestantes também foi lançado gás lacrimogéneo.

Paris está sob um forte dispositivo de segurança. Há oito mil agentes policiais e 14 veículos blindados nas ruas, mas a verdade é que, apesar da confusão, a situação está, até ao momento, mais controlada de que nos fins-de-semana que passaram.

Os manifestantes começaram a manhã a descer os Campos Elísios, mas a certa altura as imagens mostraram um cordão policial a conter o percurso, altura em que se viveram alguns momentos de tensão.  O destaque foi para cinco mulheres que fizeram uma representação de Marianne, a mãe da República francesa e que se mantiveram em silêncio á frente do cordão da polícia.

A segurança foi reforçada também nas estradas, estações ferroviárias e transportes públicos com destino a Paris.

Quanto ao resto do país, uma fonte policial disse à agência Reuters que, por volta das 11:00, estavam cerca de 33.500 mil protestantes nas ruas francesas incluindo Paris (onde estavam contabilizados 5.500), enquanto no sábado passado, à mesma hora, contabilizaram-se cerca de 77 mil "coletes amarelos". O ministro do Interior assegurou que estavam mobilizados cerca de 69 mil oficiais, com reforços nas cidades de Toulouse, Bordéus e Saint-Étienne. 

Na sexta-feira, o presidente Emmanuel Macron afirmou que "a França precisa de calma, ordem e de voltar ao normal", após uma reunião com líderes da União Europeia em Bruxelas. 

Apesar das medidas já anunciadas por Macron, como o aumento do salário mínimo, e do ataque desta semana em Estrasburgo, os "coletos amarelos" continuam a apelar aos franceses para sairem à rua.

Desde o primeiro protesto, a 17 de novembro, o país tem enfrentado uma série de bloqueios de estradas e manifestações que já fizeram ao todo seis mortos e centenas de feridos.

Em Portugal, a PSP vai estar de prevenção no dia 21 de dezembro, dia de manifestações em Portugal do movimento "coletes amarelos", antecipando "manifestações de grande dimensão em todo o país", tendo por isso suspendido as folgas marcadas pelos efetivos.