Pelo menos 147 pessoas foram detidas e outras 17 ficaram feridas no Paquistão nos primeiros protestos de advogados contra a decisão do presidente Pervez Musharraf de impor o estado de emergência no país, noticia o Globo.

A maior manifestação aconteceu na cidade de Karachi, onde 110 pessoas foram detidas e 17 ficaram feridas após uma acção policial com cassetetes e gases contra os advogados, que tinham conseguido entrar à força na sede do Tribunal Superior.

Em Rawalpindi, cidade próxima a Islamabad e quartel general do Exército, outros 37 advogados foram detidos durante os protestos, que foram reprimidos com acções das forças de segurança.

Com as novas prisões, sobe para cerca de 2000 o número de pessoas detidas desde que Musharraf impôs o estado de emergência no sábado passado.

Os advogados tinham convocado para hoje uma jornada de protestos em todo o país contra a medida.

Musharraf declarou o estado de emergência alegando o aumento da violência extremista e a interferência do Poder Judiciário na política do Governo, mas a oposição acredita que ele tenha tomado a decisão para evitar um veredicto do Supremo que poderia invalidar a sua recente reeleição como presidente.
Portugal Diário