Um ferry ficou sem energia no Mar Báltico com 335 pessoas a bordo e lançou o pânico ao ser emitido um pedido de socorro aparentemente devido a um incêndio. De acordo com um porta-voz da companhia dinamarquesa DFDS, citado pela Reuters, a embarcação tem um problema técnico, mas não está em chamas.

Houve vibração e fumo, mas nenhum incêndio", disse o porta-voz à agência de notícias, contradizendo relatos anteriores do exército lituano de um incêndio a bordo do navio após uma explosão na sala das máquinas.

A embarcação terá agora de ser rebocada para a cidade portuária de Klaipeda, na Lituânia, após ter sofrido problemas técnicos a cerca de 135 quilómetros ao largo da cidade russa de Kaliningrado, adiantou o mesmo porta-voz. Os motores do ferry estão desligados.

Um problema técnico a bordo do ferry Regina Seaways produziu fumo, que fez disparar o sistema de alarme contra incêndios na sala das máquinas do navio", referiu ainda a DFDS num comunicado, citado pelo jornal The New York Times.

Os passageiros foram transferidos para um lugar seguro no navio e preparados para uma possível retirada da embarcação. A evacuação acabou por não ser necessária porque a "situação está sob controlo", acrescentou a empresa no mesmo comunicado.

O ferry navegava de Kiel, na Alemanha, para Kaipeda, na Lituânia. Das 335 pessoas a bordo, 298 são passageiros e 37 são membros da tripulação.

De acordo com a agência Reuters, os militares lituanos enviaram um helicóptero para o ferry e tinham mais dois prontos, caso fosse necessário, após o pedido de socorro. 

O Ministério da Defesa da Lituânia tinha afirmado anteriormente que "o fogo foi extinto" e que quatro navios militares lituanos estão a caminho do local onde se encontra o ferry.