Depois de ter estado envolvido num acidente de carro, em meados de janeiro, o marido da rainha Isabel II decidiu agora entregar voluntariamente a sua carta de condução.

"Após uma cuidadosa consideração, o Duque de Edimburgo tomou a decisão de entregar voluntariamente a sua carta de condução", anunciou o Palácio de Buckingham, em comunicado.

Aos 97 anos, Príncipe Philip seguia ao volante de um Land Rover perto da casa de campo da família real  Sandringham, no leste de Inglaterra quando embateu num outro veículo, no dia 17 de janeiro. Teve ajuda para sair do carro, uma vez que capotou, mas saiu ileso. 

Alguns dos danos materiais causados pelo acidente (Reuters)

Porém, a colisão deixou duas mulheres feridas. Nesse segundo carro seguia também um bebé de nove meses, que não ficou ferido. 

O príncipe chegou a escrever uma carta a pedir desculpa a uma das mulheres feridas (partiu o pulso) na qual justificou, segundo Associated Press, que ficou encadeado pelo sol quando entrou na estrada principal.

A AP adianta ainda que o Duque de Edimburgo foi fotografado a conduzir, dois dias depois da colisão, sem cinto de segurança. 

Está aberto um processo de investigação a propósito do acidente e o marido de Isabel II pode ainda vir a ser acusado. A polícia adiantou que os envolvidos no acidente foram sujeitos a testes e não acusaram álcool no sangue.

De referir que não há limite de idade para conduzir, na Grã-Bretanha. Porém, os condutores com mais de 70 anos têm de renovar a carta de três em três anos e estão obrigados a informar as autoridades sobre novas indicações médicas a levantar problemas de segurança.

/ VC