É cada vez mais longa a lista daquilo que os Simpsons anteciparam, há anos, e que veio a tornar-se realidade. Esta semana soube-se que o Canadá legalizou o uso de canábis para fins recreativos. Pois bem, os Simpsons já sabiam há 13 anos.

Num episódio de 2005, - Midnight Rx - e aparecendo como a coisa mais natural do mundo, Homer passou a fronteira de Springfield para o Canadá, porque os medicamentos se tinham tornado demasiado caros.

À procura de alternativas mais baratas, Homer, o avô Simpson, Apu e Ned Flanders lá as encontraram e, quando estavam a carregar o carro, aparece Ned Canadiano, e começa a falar com o vizinho de Homer – o Ned original. Tira um charro do bolso e pergunta-lhe se quer experimentar.

Ned Canadiano: “É legal aqui”

Ned Flanders: “Bem que eles avisaram que Satanás seria atraente. ‘Bora lá”.

Esta cena demorou 13 anos a ser realidade, mas agora de facto é. E ao primeiro dia, segundo reporta a imprensa do país, muitas lojas esgotaram os seus stocks.

Em Portugal, no verão deste ano ano foi aprovada a legalização da canábis, mas apenas para fins medicinais. 

Outras "coincidências"

Também o recente encerramento em massa de lojas da Toys R Us já é um filme antes visto, num episódio de Simpsons que remonta a 2003.

Marge vs Singles, Seniors, Childless Couples and Teens, and Gays, um grupo de adultos sem filhos destrói tudo aquilo que é associado a crianças na cidade fictícia de Springfield, incluindo desfigurar as placas da Toys R US, deixando o “R” de pernas para o ar. E isto tudo com os miúdos a assistir do lado de fora, lavados em lágrimas.

Já houve muito mais coisas que os criadores da série de desenhos animados, Matt Groening, James L. Brooks e Sam Simon, previram. Em 2010, antecipavam que Donald Trump iria chegar a presidente (o que vieram a lamentar quando efetivamente aconteceu.

Previram a epidemia do ébola e a polémica com a carne de cavalo. Acertaram, há oito anos, nos resultados dos Jogos Olímpicos de Inverno que se verificaram este ano (os EUA derrotaram a favorita Suécia no curling).

Para além da realidade, também projetaram a ficção, com cenas de filmes e séries que vieram a concretizar-se.

Quase nos tentamos a fizer que talvez até pudessem prever o Euromilhões. Não fosse a falha que cometeram ao colocar Portugal na final do Mundial, com o México.  

Veja também: