A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, afirmou numa entrevista ao canal de teelvisão France 2 que não vê Jair Bolsonaro como um representante desse espectro político.

Ele diz coisas extremamente desagradáveis que são intransponíveis na França. São culturas diferentes", afirmou Marine Le Pen, quando confrontada com declarações de Bolsonaro, como as de que preferia ver os filhos mortos caso fossem homossexuais e que as mulheres devem ganhar menos porque engravidam.

A líder da Frente Nacional, que perdeu na segunda volta das presidenciais francesas de 2017 para Emmanuel Macron, mas atingiu 34% dos votos, explicou a vitória de Jair Bolsonaro nas votações do passado domingo com uma reação dos brasileiros à insegurança. 

É uma criminalidade endémica que atinge a liberdade dos brasileiros e, face ao laxismo do governo anterior, os brasileiros lançaram o sinal de que a segurança é para eles uma prioridade", acentuou Marine Le Pen.

Quando questionada sobre se desejava a vitória do candidato Bolsonaro, Le Pen refugiou-se na ideia de ser uma decisão que cabe apenas aos brasileiros. Sendo que as propostas "desagradáveis" dificilmente teriam aplicação em França: "São culturas diferentes".