O primeiro-ministro dos Países Baixos, Mark Rutte, reagiu esta segunda-feira aos protestos contra as medidas restritivas de contenção da pandemia de covid-19, considerando-os "pura violência" de "idiotas".

Citado pela AFP, Mark Rutte prometeu processar os responsáveis pelos distúrbios que ocorrem há já três noites consecutivas em várias províncias do país.

"O que observámos este fim de semana é pura violência", afirmou o primeiro-ministro neerlandês, acrescentando que "nunca aceitaria que os idiotas" sejam violentos com a polícia "porque estão descontentes" com as restrições sanitárias.

A violência começou na sexta-feira, na cidade portuária de Roterdão, onde quatro manifestantes foram feridos por disparos da polícia e 51 pessoas foram detidas.

Vários polícias ficaram feridos em confrontos em Haia, no sábado à noite, onde manifestantes atiraram pedras, queimaram bicicletas e dispararam fogos de artifício.

No total, pelo menos 130 pessoas foram detidas em todo o país, incluindo por insultarem as forças de segurança.

Os Países Baixos reintroduziram o confinamento parcial na semana passada para tentar travar a propagação da pandemia, estando o encerramento da restauração às 20:00 entre as medidas anunciadas.

Em análise está ainda a interdição de acesso a determinados locais, incluindo bares e restaurantes, a não vacinados.

Rafaela Laja