Onze homens acusados de rapto e violação de uma jovem marroquina de 17 anos foram condenados a 20 anos de prisão, referiu, na quarta-feira, o advogado da vítima.

Khadija Okkarou tornou o caso público em 2018, num vídeo onde a adolescente conta que foi raptada, torturada e mantida em cativeiro durante dois meses por um "gangue perigoso".

A jovem mostrou as queimaduras de cigarro e as tatuagens que os raptores lhe fizeram em várias partes do corpo.

O advogado da vítima, Ibrahim Hachane, disse à AFP, que o tribunal considerou os acusados culpados de várias acusações, incluindo violação, rapto e confinamento à força.

Os agressores foram ainda multados em 200 mil dirhams (cerca de 19 mil euros).

No entanto, o advogado da adolescente considera que a pena não "é suficiente" e irá recorrer da decisão, esperando que os homens sejam punidos com pelo menos 30 anos de prisão.

A vítima ainda está a ser tratada e o que ela passou vai ficar com ela para o resto da sua vida", afirmou o advogado, citado pelo jornal The Guardian.

Redação / IC