Nos Estados Unidos da América, 57 agentes de uma equipa de intervenção rápida desistiram das forças especiais em protesto contra a suspensão dos dois polícias que empurraram um idoso de 75 anos.

A vítima ficou inconsciente e a sangrar de ambos os ouvidos, no seguimento do embate com o asfalto.

O vídeo foi partilhado na quinta-feira e, rapidamente, se tornou viral. As imagens demonstram um idoso de 75 anos, que não tem qualquer tipo de comportamento agressivo, a ser empurrado por dois agentes, que prosseguem a marcha após o manifestante ficar deitado no asfalto, inconsciente e a sangrar dos ouvidos.

AVISO: Imagens extremamente gráficas, que podem ferir algumas susceptibilidades

Quem protesta nas ruas norte-americanas acredita que as imagens demonstram os abusos policiais, que desde a morte de George Floyd estão a gerar revolta.

A identidade da vítima foi revelada pelo próprio gabinete do governador do estado de Nova Iorque. O idoso chama-se Martin Gugino e está hospitalizado em estado grave, mas estável.

AVISO: Imagens extremamente gráficas, que podem ferir algumas susceptibilidades

O governador do estado de Nova Iorque já comentou o caso e criticou a atuação dos dois agentes.

Vemos este vídeo e a nossa decência e humanidade fica distorcida. Porquê? Porque é que aquilo foi necessário? Totalmente injustificado e totalmente vergonhoso! Como chegámos aqui?”, reiterou Andrew Cuomo, governador do estado de Nova Iorque.

No entanto, os agentes da cidade de Buffalo, a segunda maior do estado de Nova Iorque, discordam da suspensão e estão solidários com os dois colegas.

Os 57 agentes desistiram da equipa de resposta rápida, mas se despediram, ou seja, não abandonaram polícia de Buffalo.

57 renunciaram em protesto contra o tratamento dado aos dois colegas, que estavam, simplesmente, a cumprir ordens”, explicou Jonh Evans, presidente da Associação Benevolente da Polícia de Buffalo

Para responder à rescisão em massa a polícia do estado de Nova Iorque já enviou um reforço de agentes para a cidade de Buffalo.

Os vídeos de abusos policiais nos Estados Unidos da América continuam a surgir de dia para dia e tornarem-se virais nas redes sociais.

Nuno Mandeiro