Todos os dias, entre as 21:30 e a meia-noite, o cume Matterhorn enche-se de luz e esperança. Desde que começou a pandemia da Covid-19 que a famosa montanha localizada na fronteira da Suíça com Itália, tem projetado dezenas de bandeiras de países por todo o mundo, bem como mensagens como “fiquem em casa” ou “sonhem agora, viagem depois”.

A bandeira de Portugal não ficou de fora da iniciativa e pintou o cume, de 4478 metros, de esperança. A comunidade de Zermatt dedicou a noite a todos os portugueses emigrantes que vivem na região. 

“A maior comunidade de emigrantes portugueses vive em Zermatt. Sem eles a nossa região não seria o que é hoje. Muitos deles continuam aqui, apesar da pandemia do coronavírus, a mais de mil quilómetros de distância das suas famílias. Obrigado”, pode ler-se no comunicado.

Zermatt é uma das montanhas mais famosas dos Alpes, ao lado do Mont Blanc. Por estes dias, as estâncias que costumam estar cheias de esquiadores e alpinistas, estão completamente desertas depois de terem sido encerradas por causa da Covid-19.

A iniciativa, que foi promovida pela região, tem como objetivo agradecer aos profissionais de saúde que ajudam a superar esta pandemia mundial e mostrar-se solidária com “todas as pessoas que estão a sofrer”.

Para assistir ao trabalho do artista Gerry Hofstetter não precisa de sair de casa. Na página oficial da Zermatt é possível acompanhar diariamente os espetáculos que são gravados e transmitidos em direto. 

 
Márcia Sobral