Melania Trump, mulher do candidato republicano à Casa Branca, fez dez trabalhos pagos como modelo nos Estados Unidos antes de ter autorização legal para trabalhar no país, segundo documentos de há 20 anos divulgados pela Associated Press.

Os detalhes dos primeiros trabalhos de Melania Trump nos Estados Unidos surgiram nos últimos dias de uma amarga campanha presidencial em que o seu marido, Donald Trump, condenou as leis de imigração e aqueles que as violam.

Trump propôs um uso mais alargado do sistema de verificação eletrónica do Governo, permitindo aos empregadores verificar se os candidatos estão autorizados a trabalhar. O candidato sublinhou que as leis federais proíbem pagamentos a imigrantes ilegais.

Melania Trump, que recebeu um cartão verde em março de 2001 e se tornou cidadã norte-americana em 2006, garantiu sempre que chegou ao país de forma legal.

As revelações sobre os pagamentos surgem numa altura em que a antigo modelo assume um papel mais destacado na campanha do marido. A mulher fez o seu primeiro discurso, em meses, na quinta-feira, no qual se referiu ao seu trabalho como modelo na Europa e à sua decisão de ir para os Estados Unidos.

A mulher de Trump tem rejeitado sempre a divulgação dos seus registos de imigração.

Redação / CM