As discussões técnicas desta noite entre Bruxelas e Londres foram “construtivas”, mas ainda há “um número significativo” de questões a resolver para que um acordo para o ‘Brexit’ seja alcançado, transmitiu hoje Michel Barnier à Comissão Europeia.

“O negociador-chefe da União Europeia informou o colégio do estado das conversações com o Reino Unido. As discussões a nível técnico decorreram até altas horas esta noite e continuam neste momento. As discussões foram construtivas, mas ainda há um número significativo de questões para resolver”, informou o comissário europeu das Migrações, em conferência de imprensa após a conclusão da reunião semanal do executivo comunitário, em Bruxelas.

Dimitris Avramopoulos contornou as perguntas sobre o ‘Brexit’, escusando-se a providenciar mais detalhes ou a tecer comentários sobre o estado de espírito de Michel Barnier, ao ser questionado sobre se o negociador comunitário se mostrou otimista quanto a um desfecho positivo das negociações antes do Conselho Europeu, que acontece quinta e sexta-feira em Bruxelas.

A mesma perceção quanto ao estado das negociações tinha sido avançada momentos antes pelo primeiro-ministro irlandês, com Leo Varadkar a reiterar que, embora exista “um caminho para um possível acordo”, ainda há “numerosas questões que precisam de ser plenamente resolvidas”.

“Estou convencido de que todas as partes envolvidas desejam seriamente chegar a um acordo esta semana ou até ao final do mês”, declarou durante uma reunião em Dublin.

Varadkar mostrou-se convicto de que um acordo entre Bruxelas e Londres ainda pode ser alcançado hoje e ressalvou que, caso tal não seja possível, “a data de 31 de outubro ainda está a umas semanas” e há disponibilidade dos líderes europeus para uma cimeira extraordinária até ao dia agendado para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Poucos detalhes têm sido divulgados sobre o conteúdo das negociações, em curso neste momento no edifício da Comissão Europeia em Bruxelas, que se concentram em manter uma fronteira aberta entre a Irlanda, Estado-membro da UE, e a Irlanda do Norte, região parte do Reino Unido.

As discussões em curso centram-se em dois pontos de discórdia: como aplicar controlos aduaneiros sem a necessidade de uma fronteira física na ilha da Irlanda e a questão do direito de consentimento atribuído às autoridades da Irlanda do Norte sobre um alinhamento com as regras do mercado único.

O governo britânico tem prevista uma sessão parlamentar extraordinária no sábado para discutir os resultados do Conselho Europeu desta semana, sendo 19 de outubro o prazo estabelecido na chamada "lei Benn" para o primeiro-ministro pedir um novo adiamento do ‘Brexit'.

Oficialmente designada por a Lei de Saída da UE (n.° 2), mas batizada com o nome do deputado trabalhista e primeiro signatário do texto Hilary Benn, obriga Boris Johnson a pedir uma extensão do processo do ‘Brexit' por mais três meses, até 31 de janeiro, se não for alcançado um acordo até 19 de outubro nem autorizada uma saída sem acordo.